Entrevistas

Entrevista Com o Arquiteto Leonardo Finamor

Formado pelo Mackenzie e com especialização em Milão, Leonardo é arquiteto, professor e ainda atua como presidente da ONG Reparação.

<b>Arquivo Pessoal</b> Empório Santo Antônio na cidade de Bragança Paulista. Área do café, espaço confortável para maior tempo de permanência dos clientes. Detalhe para o mapa múndi ao fundo.
Arquivo Pessoal Empório Santo Antônio na cidade de Bragança Paulista. Área do café, espaço confortável para maior tempo de permanência dos clientes. Detalhe para o mapa múndi ao fundo.
<b>Arquivo Pessoal</b> Toilet do Empório Santo Antônio. Luz indireta disposta atrás do espelho.
Arquivo Pessoal Toilet do Empório Santo Antônio. Luz indireta disposta atrás do espelho.
<b>Arquivo Pessoal</b> Empório Santo Antônio. Área do empório, onde o tempo de permanência é mais curto, sendo apenas para escolha e compra dos produtos.
Arquivo Pessoal Empório Santo Antônio. Área do empório, onde o tempo de permanência é mais curto, sendo apenas para escolha e compra dos produtos.
<b>Arquivo Pessoal</b> Estudo de um Complexo esportivo/ Arena multiuso.
Arquivo Pessoal Estudo de um Complexo esportivo/ Arena multiuso.
<b>Arquivo Pessoal</b> Estudo de um Complexo esportivo/ Arena multiuso.
Arquivo Pessoal Estudo de um Complexo esportivo/ Arena multiuso.
Por Equipe Casa Diva
Publicado em 01/09/2015

Leonardo Finamor Filho é arquiteto formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e com especialização na Facoltà di Architettura Civile no Politécnico de Milão – Itália. Leonardo atua em projetos residenciais, comerciais e de interiores. Paralelamente é professor acadêmico das áreas de Arquitetura, Design de Interiores e Engenharia Civil. O arquiteto é ainda presidente da ONG Reparação, que atua reparando e reformando residências carentes na região de Bragança Paulista através da mobilização de voluntários aos finais de semana.

Oque o levou a escolher a arquitetura como profissão?

Devido principalmente à pluralidade de atuações e à possibilidade de trabalhar constantemente com criação. Em adjunto, a formação em Arquitetura e Urbanismo é muito diversificada, preocupada sobretudo em formar cidadãos antes de arquitetos. Este estímulo à busca constante por novas ideias e o pensamento com relação ao bem-estar coletivo também sempre me seduziram muito.

Já teve algum pedido de cliente impossível de ser realizado?

Durante o desenvolvimento do projeto de um sobrado o proprietário me consultou sobre a possibilidade de eliminarmos as escadas e substituí-las por rampas, o que, evidentemente, era impossível devido às dimensões necessárias.

Projetar uma residência de tamanhos reduzidos parece à primeira vista fácil, porém precisa atender à tamanhos mínimos de circulação e às exigências do cliente. Já teve algum projeto de residência pequena que levou um tempo maior que o esperado para ser executado?

Sem dúvidas, isso acontece com frequência. Existe uma tendência nos dias atuais de residências mais compactas. Isso se deve a vários fatores sociais e econômicos, bem como ao fato de muitos novos loteamentos serem lançados já com terrenos de dimensões reduzidas. Projetar nesta situação é sempre um grande desafio, uma vez que as disposições básicas de cômodos se tornam desfavoráveis no que diz respeito a recuos obrigatórios, e iluminação e ventilação naturais. No entanto, o trabalho do arquiteto é este. Não obstante as dificuldades, um bom profissional sempre consegue alcançar uma solução projetual interessante e que atenda a todos os interesses envolvidos.

Quais os principais desafios que você enfrenta em seus projetos?

Quando alguém busca um arquiteto, geralmente pretende que o profissional seja capaz de traduzir suas vontades em um ambiente construído que apresente boas soluções técnicas, construtivas e estéticas.

Isto posto, o principal desafio é o de conciliar todos os interesses que se fazem presentes no desenvolvimento de todas as etapas do projeto, de modo que o resultado final seja fiel à vontade inicial. Tendo em vista que estes interesses são de naturezas muito diversas - como dimensão do terreno, disponibilidade de orçamento, solução técnica/construtiva pretendida, e legislação vigente, entre muitas outras, o desafio é constante.

Quais as suas influências e inspirações?

Me inspiro muito no trabalho do arquiteto Renzo Piano. Ele possui uma visão muito particular da relação entre o projeto e o meio em que ele está inserido. Ele também trata de perceber e desenvolver o projeto em todas as escalas, de uma forma que me agrada muito. Devido aos períodos de estudo em São Paulo e em Milão recebi muitas influências da Arquitetura pós-moderna paulista, assim como das Arquiteturas clássica e neoclássica italianas.

Existe alguma qualidade principal que os arquitetos devem possuir?

O arquiteto deve constantemente estar atualizado sobre novas tendências e novas técnicas construtivas, mas essencialmente perceber que os resultados serão otimizados quando ele conseguir aliar os seus conhecimentos técnicos/artísticos aos desejos particulares de cada cliente. Acrescento que simultaneamente ele deva compreender que ao realizar um projeto este passará a integrar a cidade, de forma que o arquiteto deve também atender aos anseios e desejos da coletividade.

Algum material específico está sempre presente em seus trabalhos?

Acredito que a escolha dos materiais sempre procederá das necessidades de cada projeto. Entretanto, me agrada muito as muitas combinações possíveis entre concreto e madeira. Por se tratarem de materiais muito versáteis é possível adotá-los em diversas situações.

Como você define o seu trabalho?

Uma arquitetura contemporânea com partidos claros e bem definidos, simultaneamente flexível as variáveis que se apresentam em todo projeto.

 

Contatos do Arquiteto Leonardo Finamor:

Telefone: (11) 2277-6535 | (11) 98538-3535

E-mail: leonardo@finamorarquitetura.com.br

Arquivo Pessoal - Leonardo Finamor